Gestão de Projetos

Conheça o melhor site sobre Gestão de Projetos. Planejamento e execução de Projetos, fazendo parte do portal de Administração e Gestão Empresarial.

Neste site você irá encontrar um amplo acervo de informações sobre Administração e Gestão. Você irá conhecer os principais modelos, métodos e teorias administrativas. Abaixo você pode conhecer os temas trabalhados, e os últimos artigos publicados de cada área Abaixo você pode conhecer os temas trabalhados, e os últimos artigos publicados de cada área.

Os Stakeholders (Partes Interessadas) e a Gestão de Projetos

Está caracterizado que o objetivo principal do Gerenciamento de Projetos é a satisfação, a realização das necessidades dos stakeholders (interessados ou envolvidos), segundo Xavier (2005, p.7).

Os principais stakeholders de um projeto genérico são (entre outros):

• Gerente de projeto: a pessoa responsável pelo gerenciamento do projeto;
• Cliente: a pessoa ou organização que ira utilizar o produto ou o serviço do projeto;
• Membros da equipe: as pessoas que compõem a equipe do projeto;
• Organização executora: a empresa em que o projeto está sendo executado;
• Patrocinador (sponsor): a pessoa ou o grupo, dentro ou fora da organização executora, que prevê recursos financeiros e/ou apoio institucional para a execução do projeto.

A razão de se utilizar a gestão de projetos pode ser explicada quando o projeto apresentado aos stakeholders possui toda a convicção de que o projeto será bem sucedido e a sua gestão bem gerenciada, dando a entender que mais este empreendimento terá a satisfação garantida dos interessados, portanto, é isto o que importa para os investidores.

E o conceito de stakeholders é um dos primeiros a serem apresentados, devido à sua importância para embasar todas as decisões de gerenciamento do projeto, da definição do produto até a entrega do mesmo dentro do prazo e custo determinados.

Abaixo um vídeo que apresenta o conceito de stakeholder de forma prática e fácil:




PMBoK – Guide to the Project Management Body of Knowledge

Uma das primeiras iniciativas com a criação do PMI, foi estabelecer um documento que criasse uma linguagem comum, internacionalmente, para todas as entidades que trabalhavam com Gestão de Projetos.
Esta linguagem fora bastante discutida entre os primeiros membros, onde optou-se pela criação do PMBoK (Guide to the Project Management Body of Knowledge), ou, em português, o Guia para o conhecimento em Gestão de Projetos.
Segundo a tradução livre do PMBOK® (2002), disponibilizada pela internet pelo PMI®-MG, podemos defini-lo como:

Uma denominação que representa todo o somatório de conhecimento dentro da profissão de gerência de projetos. Gerenciado pela Organização PMI®, utilizado como padrão em diversas indústrias, como a da Construção Civil e em diversos setores da Indústria de Software. Qualificada pela ISO 10.006.

Já o PMI®-SP, esclarece a exemplificação do que é esta ferramenta:

O “Project Management Body of Knowledge” (PMBOK® Guide) é um termo que abrange o universo do conhecimento da profissão de Gerenciamento de Projetos. Este universo de conhecimento vem dos praticantes e acadêmicos que utilizam e desenvolvem tanto as práticas amplamente testadas e aprovadas quanto aquelas modernas e inovadoras, com aplicação mais restrita.

Assim, o PMBoK é um guia genérico de conhecimento, apresentando as melhores técnicas e práticas para gerenciamento de projetos.
O PMBoK foi também bastante importante para servir como base para os futuros programas de educação (cursos) na área de Gestão de Projetos, onde é utilizado até hoje em dia como base.




Project Management Institute – PMI

Com todo este movimento ao redor do mundo, o conhecimento adquirido em gerenciamento de projeto passou a ser discutido em congressos, onde se tomou a decisão de se crirar o Project Management International, fundado em 1969.
Desde a fundação do PMI® – Project Management Institute (Instituto de Gestão de Projetos), em 1969 na Filadélfia, Pensilvânia EUA (XAVIER, 2005, p.3), por Jim Snyder com mais quatro voluntários nos EUA. A Administração de Projeto, Gerenciamento de Projeto, Gestão de Projeto ou Metodologia, seja qual for à denominação, hoje empresas de diversos segmentos reconhecem a importância da sua aplicação, das habilidades, os conhecimentos técnicos relacionado aos objetivos direcionados ao projeto pré-defindos pelos stakeholders (MAXIMIANO, 2002, p.61; HELDMAN, 2005, p.4).
O Brasil, depois dos Estados Unidos, foi o primeiro país a constituir um Chapter (o Chapter é a filial do PMI nos diferentes locais), no início dos anos 80.
Porém em 1984 foi destituído o Chapter Brasil. Após 14 anos, em São Paulo, com a expansão e as necessidades dos conhecimentos e suas aplicabilidades, foi aberto o Chapter São Paulo, e já no ano de 1999 foi a vez do Estado de Rio de Janeiro, e com a constante preocupação do avanço da tecnologia de Sistemas de Informações, e com a demanda exigente das organizações patrocinadoras por propostas e prestações de contas consistentes e com melhores resultados dos projetos, com a escassez dos recursos financiadores e a constante necessidade de otimizar a utilização do recurso físico e financeiro alocado ao projeto.
Por isso, em agosto de 2003, no Rio de Janeiro, oficializou-se a criação do Chapter PMI®-RJ, que atuou e disseminou pelo Brasil afora, as melhores ferramentas na execução e da boa utilização do Gerenciamento de Projeto.




Histórico da Gestão de Projetos

Vamos agora falar um pouco do histórico da gestão de projetos, que é uma área de conhecimento bastante recente. Durante a história, a civilização humana trabalha e desenvolve projetos já há muito tempo.
Por exemplo, as pirâmides de Gizé, no Egito, são projetos desenvolvidos já há mais de 5.000 anos, assim como o projeto Manhattan (projeto de construção da bomba nuclear utilizada pelos americanos na II Guerra Mundial), desenvolvido nas décadas de 30 e 40 para a construção da bomba atômica utilizada na Segunda Guerra Mundial.
O que acontece, na verdade, é que, apesar da humanidade desenvolver projetos já há muito tempo, pouco tem se armazenado de informações a respeito do gerenciamento de projetos.
Se pesquisarmos informações sobre o projeto Manhattan, muita (porém nem tanto) informação está disponível a respeito das características da engenharia da bomba atômica, mas muito pouco em relação à gestão realizada para que o projeto fosse efetivamente entregue.
Até que, por volta da década de 60 e 70 do último século, algumas organizações, isoladamente e ao redor de todo o mundo, passaram a sistematizar suas idéias sobre gestão de projetos. Esta sistematização foi passo crucial para a criação do Project Management Institute.




Conceito de Projeto

O projeto, sinteticamente falando, é composto de três restrições: tempo, custo e qualidade.

Conforme Maximiano (2002, p.26), a definição de projeto é “um empreendimento temporário de atividade com início, meio e fim programados, que tem por objetivo fornecer um produto singular e dentro das restrições orçamentárias”, para satisfazer as necessidades dos stakeholders. Seja qual for o tipo de projeto (construção de um avião, desenvolvimento de uma nova versão de software, uma viagem, construção de um edifício, etc.).

Segundo Xavier, (2005, p.5), e de acordo com a norma ISO 10.006 (diretrizes de qualidade de gerenciamento de projetos), o projeto é:

Um processo único, consistindo de um grupo de atividades coordenadas e controladas com datas para início e término, empreendido para alcance de um objetivo conforme requisitos específicos, incluindo limitações de tempo, custo e recursos.

Por isso um projeto surge em resposta a um problema e/ou uma necessidade concreta. E elaborar um projeto é, antes de qualquer coisa, contribuir para a solução de problemas, transformando idéias em ações planejadas e executadas de acordo com o que o projeto estipula no contrato.
Segundo a ONU (1984), “Projeto é um empreendimento planejado que consiste num conjunto de atividades inter-relacionadas e coordenadas, com o fim de alcançar objetivos específicos dentro dos limites de um orçamento e de um período de tempo dados”.
Este objetivo a ser alcançado no projeto é chamado também de “produto“.

Neste material utilizaremos esta nomenclatura toda vez que estivermos nos referindo ao que o projeto busca entregar, lembrando que não necessariamente deve ser um bem material, podendo ser também uma idéia ou um serviço.




Página 1 de 212