O Marketing Social – Tendência de Negócios Sociais



O marketing, nos dias atuais, é um termo amplamente difundido, mas ao mesmo tempo causa certa confusão. Muitas pessoas mencionam o marketing como sendo um sinônimo de comunicação, escapando-lhes da memória que o ato de divulgar algum bem ou serviço representa apenas uma parte do todo.
O marketing é um campo bastante extenso e complexo, possui múltiplos níveis de especialização; comumente se ouve falar em publicidade, marketing de serviços, marketing direto, marketing político, marketing de guerrilha, telemarketing, relações públicas e muitos outros.
Ao longo do tempo, o marketing adquiriu várias definições concebidas por especialistas, apresentando sempre características semelhantes. Destacam-se os conceitos de Kotler (1998, p.27), que considera o marketing como “um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros”; e da American Marketing Association (AMA) que o define como sendo a atividade, conjunto de hábitos e processos com o intuito de criar, comunicar, entregar e trocar produtos e serviços que possuem valor para consumidores, clientes, parceiros e a sociedade em geral.
Os dois conceitos evidenciam a relação de troca que existe quando há ao menos dois indivíduos e um deles deseja algo de valor que a outra parte possa oferecer. Nota-se neste ponto uma certa semelhança entre o marketing e o Terceiro Setor.
Meneghetti (2003, p.27) afirma que são sinônimos o marketing para organizações do Terceiro Setor e marketing social, visto que esses “se referem ao planejamento detalhado de programas e projetos da natureza de reconhecimento social”. Uma organização que faz uso do marketing social provavelmente possui objetivos de mudança que possam contribuir para com os interesses da sociedade.
O marketing social, também chamado de marketing humanístico ou marketing societal, por sua vez, possui um foco diferente ao do marketing tradicional ou de negócios; ele distingui-se no que se refere aos valores e objetivos e alvos a serem atingidos, conforme mostra a Tabela 2.

Principais diferenças entre marketing societal e marketing de negócios – Fonte: Cavalcanti (2006, p.229)

Kotler (1998, p.298) aponta que,

O Marketing Social é o projeto, a implantação e o controle de programas que procuram aumentar a aceitação de uma idéia ou a prática social num grupo-alvo. Utiliza conceitos de segmentação de mercados, de pesquisa de consumidores, de configuração de idéias, de comunicações, de facilitação de incentivos, e a teoria de troca, a fim de maximizar a reação do grupo-alvo.

Salmon (1989) sustenta que os esforços do marketing social empregam mecanismos de controle social com o objetivo de mudar o comportamento da sociedade; estes objetivos buscam os interesses dos indivíduos ou do público a ser afetado.
Segundo Kotler e Roberto (1992, p.9),

Marketing Social é uma estratégia de mudança do comportamento. Ele combina os melhores elementos das abordagens tradicionais da mudança social num esquema integrado de planejamento e ação e aproveita os avanços na tecnologia das comunicações e na capacidade de marketing.

Schiavo e Fontes (1997, apud SIQUEIRA; SPERS, 2004) propõe que,

Marketing Social é a gestão estratégica do processo de mudança social a partir da adoção de novos comportamentos, atitudes e práticas, nos âmbitos individual e coletivo, orientadas por princípios éticos, fundamentados nos direitos humanos e na eqüidade social.

Para Cavalcanti (2006), o marketing no Terceiro Setor agrega valor à imagem da empresa, revelando-se uma atitude favorável que a sociedade atribui à organização como reconhecimento por sua atuação responsável e consciente na comunidade. Cavalcanti ainda cita que outro benefício é a criação de uma consciência coletiva interna que incentiva a participação dos funcionários com sugestões e idéias beneficiando o ambiente organizacional.
Gomes (2002), por outro lado, adota uma postura mais crítica ao argumentar que a divulgação das ações ou projetos sociais para o público não surtem efeito nos problemas sociais, além de, muitas vezes, o gasto publicitário ser maior que a aplicação de recursos nas ações para a sociedade.
Reforça-se a idéia de que o objetivo do marketing social e mudar o comportamento do público através da adoção de novos conceitos e atitudes ou que ainda diz respeito ao esforço mercadológico em associar um nome, seja ela a marca ou instituição, a uma causa social.



Comente





Posts Relacionados

  • A responsabilidade social das OrganizaçõesA responsabilidade social das Organizações Nas últimas décadas a mentalidade das empresas acerca da responsabilidade social adquiriu outra perspectiva; antes desse tempo, poucas pessoas questionavam a conduta das empresas. No […]
  • Os Tipos de Organização e o Terceiro SetorOs Tipos de Organização e o Terceiro Setor Tipologia das Organizações - Tipos de Organização As organizações existem para atender as necessidades humanas e podem ser entendidas como sendo o hábitat do administrador. Organização […]
  • Processos AdministrativosProcessos Administrativos Vídeo sobre Processos Administrativos Entenda os Processos Administrativos Derivando do conceito de administração, podemos então definir os quatro processos administrativos […]
  • Corretagem: InformaçõesCorretagem: Informações A corretagem é um grande mal para todos os investidores, e é uma despesa que pesa principalmente para os pequenos investidores. A corretagem é cobrada a cada operação executada, ou seja, […]
  • Estrutura da pesquisa de clima organizacionalEstrutura da pesquisa de clima organizacional Esse tópico orienta a elaboração de uma pesquisa de clima organizacional,e descreve alguns aspectos fundamentais para execução da mesma. Luz (2007) assim como Bispo (2006), orientam […]
  • A rentabilidade na atividade ruralA rentabilidade na atividade rural Matéria publicada na Revista Lida de Maio de 2006 Entenda as implicações do capital imobilizado em seus resultados financeiros Pesquisando alguns dados no Agrianual* 2006, mais […]