Diferenciação de produtos e serviços: dica para negócios



O momento parece propício para propor a diferenciação de produtos e serviços e, conquistar o cliente pelas características únicas do seu negócio. Se por um lado, pode afastar propects que não se encaixem com a proposta, por outro, deixa claro ao seu cliente a postura da empresa e cria um ponto de contato certeiro. De acordo com a pesquisa “Perfil do e-commerce no Brasil” são mais de 450 mil lojas virtuais somente no Brasil, fora as lojas físicas e as gringas que entregam aqui. Como a sua empresa vai ser encontrada em meio a esse volume de marcas?

Diferenciação seria uma das respostas.

Para ter uma ideia, quantas empresas vendem carros? São cerca de 50 marcas disponíveis no mercado que vendem o mesmo tipo de produto, mas uma encontrou na criação personalizada o seu nicho. A Local Motors cria o projeto e executa com o dono do veículo, proporcionando uma experiência única aos aficionados por carros.

Partindo desse mesmo princípio, quantos bancos oferecem serviços e produtos financeiros? Quando os bancos apresentam tantas exceções e letras pequenas em ofertas que acabamos optando por aquela que cabe no orçamento e não, necessariamente por serem os melhores serviços.

Quem nunca teve a sensação de que as opções de financiamento e empréstimo fácil chegavam um resultado comum? A empresa Portal Mais Créditos encontrou na dor do usuário uma oportunidade de negócios: ao invés de cobrar uma comissão por operação financeira, a empresa busca a solução mais interessante ao usuário: a que esteja mais próxima, com parcelas e taxas bem mais baixas para aquisição de carros financiados, crédito pessoal e consórcios.

No site é possível testar o simulador de financiamento e submeter para avaliação e, uma vez encontrada a melhor proposta, a empresa faz a ponte entre usuário e instituição financeira. Com este compromisso com o usuário final, a empresa consegue atrais mais instituições financeiras e garante a credibilidade, a partir do compromisso com as taxas mais baixas do mercado. Ao mesmo tempo, ao invés de concorrer com as instituições financeiras, abre o leque para parceria com todas ao mesmo tempo.

A sensação de mais do mesmo é parecida nos ramos com pouca diferenciação como telefonia móvel e fixa, combustível e transporte. Nesses setores a apresentação do produto ou serviço precisa de um valor agregado, precisa de um diferencial no ZMOT – zero moment of truth – do cliente.

Netflix e Uber estão aí para provar que os clientes esperam melhores soluções das empresas e que estão dispostos a pagar um preço justo por um serviço de qualidade e, enquanto as empresas tradicionais não enxergam essa verdade, o mercado vai delimitando o espaço para as novidades.



Comente





Posts Relacionados

  • Resumo do Livro: Vantagem Competitiva – Michael PorterResumo do Livro: Vantagem Competitiva – Michael Porter Cada empresa possui suas peculiaridades, tanto em produtos com em serviços, cada uma com o seu diferencial para conquistar o mercado alvo, sendo assim é o que faz os consumidores comprar […]
  • Modelo de 5 Forças de Michael PorterModelo de 5 Forças de Michael Porter Comece assistindo ao vídeo que explica o modelo de forma simples e fácil de entender: Maximiano (2006) afirma que "o entendimento das forças competitivas de um ramo de negócios é […]
  • Como se diferenciar no ramo imobilárioComo se diferenciar no ramo imobilário Já tem algum tempo que o ramo imobiliário está aquecido e para quem está entrando no ramo, é preciso saber se diferenciar para conquistar a clientela.   Para começar, é preciso […]
  • Análise do Ambiente Competitivo GlobalAnálise do Ambiente Competitivo Global Maximiano (2006) define que "o entendimento das forças competitivas de um ramo de negócios é fundamental para o desenvolvimento da estratégia". E para Serra, Torres e Torres (2004), uma […]
  • Estratégia Genérica de DiferenciaçãoEstratégia Genérica de Diferenciação Antes de iniciar a leitura, não esqueça de assistir ao vídeo para entender as estratégias genéricas de Michael Porter: A segunda estratégia genérica segundo Porter (1986) consiste em […]
  • Selecionando os Canais de Distribuição internacionaisSelecionando os Canais de Distribuição internacionais Churchill (2000) comenta que embora geralmente os produtores são os que selecionam os canais de distribuição, em vários casos os outros membros do canal também devem decidir os bens de […]