Guia rápido de Fundos de Investimento

Categoria: Fundos de Investimento | 19.09.2008 | 17 comentários



1º Passo: Defina seus objetivos

– Qual o objetivo me leva a guardar dinheiro?
– De quanto dinheiro preciso para realizar este objetivo?
– Em quanto tempo quero realizar este objetivo?

Se você conhece bem sua necessidade, será fácil perceber que tipo de fundo é o mais adequado para você.
Por exemplo:

** Quero manter uma poupança que, mais do que rentabilidade, tenha liquidez para uma situação de emergência.
– Seus recursos devem ficar num fundo que permita resgates diários, que vise obter retorno no curto prazo. (Fundos Curto Prazo e DI)

** Quero garantir recursos para minha aposentadoria. A única coisa que me interessa é manter o poder de compra do meu dinheiro em Reais.
– Você deve aplicar num fundo que supere sua inflação a longo prazo, e obtendo um retorno extra, oriundo de uma taxa de juros. (Fundos Renda Fixa)

** Quero investir porque penso, num longo prazo, morar no exterior e preciso manter o poder de compra do meu dinheiro em dólar.
– Há várias alternativas de fundos que buscam acompanhar a variação cambial. (Fundos Cambiais)

**Quero investir uma parte do meu dinheiro aceitando correr maior risco em troca de uma melhor rentabilidade a longo prazo.
– Você pode aplicar nos fundos que têm uma carteira diversificada de ativos ou invistam em ações. Lembrando-se que estes fundos, no longo prazo, tem um retorno menor que os fundos de renda fixa (sem risco), ou seja, existem momentos corretos para se investir neste tipo de fundo, e a recomendação da Gestão Ativa Investimentos, é que seja alocada parte dos recursos para estes fundos, mas sempre mantendo uma parcela aplicada em fundos de menor risco. (Fundos Multimercados, de Ações ou Cambiais)

2º Passo: Conheça os tipos de fundos de investimento

A ANBID – Associação Nacional dos Bancos de Investimento dividiu os fundos em 17 tipos de fundos. Eles foram classificados a partir de sua política de investimento, ou, secundariamente, por seus fatores de risco.
Para uma rápida compreensão, destacamos as cinco classes mais populares. Se você entender bem o que significa cada uma destas classificações, vai conseguir tomar suas decisões com toda segurança, quanto a que tipos de fundos se encaixam com seus objetivos, definidos acima.

Curto Prazo: Investem em títulos de renda fixa, e sua rentabilidade está atrelada à taxa de juros utilizada nas operações entre os bancos (CDI). São considerados os mais conservadores pelo fato dos títulos de suas carteiras possuírem um prazo mais curto. Papéis com prazo máximo a decorrer de 375 dias e prazo médio da carteira de, no máximo, 60 dias.

DI: Você provavelmente já deve ter ouvido falar neles. Não? São os preferidos por muitos investidores brasileiros. Sabe por quê? Porque sua performance segue a variação diária das taxas de juros (Selic/CDI) e tendem a render mais cada vez que ocorre uma alta das taxas de juros domésticas. Os fundos DI aplicam a maior parte do seu patrimônio em títulos do governo federal e são considerados de baixo risco.

Renda Fixa: Estes fundos aplicam uma parcela de seu patrimônio em títulos prefixados. Estes títulos rendem uma taxa fixa previamente acordada. O que acontece com os fundos de renda fixa é justamente o oposto dos fundos DI. Quando os juros estão caindo, estes fundos tendem a render mais que os fundos DI. Quando as taxas de juros sobem, a tendência é que os fundos DI rendam mais que os de renda fixa.

Multimercados: Estes fundos combinam investimentos em ativos de renda fixa, câmbio e ações além de utilizarem ativamente os derivativos. Procuram as melhores oportunidades destes mercados para obter rentabilidades maiores. Devido à flexibilidade, dependem do talento do gestor na escolha do melhor momento de alocar os recursos do fundo em cada um destes mercados.

Ações: São fundos que investem majoritariamente seus recursos em ações negociadas em bolsa de valores. Dessa forma, estão sujeitos às oscilações de preços das ações que compõem sua carteira. Devido a essas variações e ao risco, são mais indicados para quem tem objetivos de investimento de longo prazo.

3º Passo: Escolha os fundos que se adequam aos seus objetivos

Para escolher os fundos que melhor se adequam aos seus objetivos, separaremos a escolha em dois tipos. Primeiro, os fundos que podem ter a rentabilidade comparada ao CDI (Fundos de Curto Prazo, DI, Renda Fixa e Multimercados), e depois os fundos mais arriscados, vinculados a outros indicadores (Fundos de Ações e Cambiais).
Como a Gestão Ativa Investimentos possui uma política de aplicação que busca os melhores retornos, para os fundos indexados ao CDI, recomendamos como melhor indicador da rentabilidade futura, a % do CDI apresentada por aquele fundo, ou seja, qual a proporção da taxa de juros que normalmente é paga pelo banco.
Com este valor (exemplo: 104,87% do CDI), unido-se às projeções econômicas do CDI, têm-se uma idéia de qual o retorno que você terá com este fundo. A idéia é buscar o fundo que apresente a maior proporção do CDI, em diferentes períodos (busque este dado para o mês, úlitmos 6 meses, 12 meses e 36 meses, para verificar a consistência do gestor).
Algumas pessoas irão bater na tecla de risco, e na segurança de uma boa instituição, então saiba que, se você for escolher fundos de investimento dos maiores bancos de varejo (Itaú, Banco do Brasil, HSBC, Safra, etc…), a rentabilidade esperada será de cerca de 90% a 98% do CDI. Se você escolher buscar fundos de Assets (empresas gestoras de capital de terceiros), você irá encontrar fundos que circulam de 95% a 110% do CDI.
Já para os fundos de ações e os cambiais, recomendamos que você procure projeções dos analistas para aquele mercado (Dólar, Euro ou Bolsa de Valores) para o próximo ano, lembrando-se sempre de um fato que já foi comprovado cientificamente, os analistas, via de regra, recomendam sempre que a Bolsa de Valores, ou o investimento em ações será um bom investimento para aquele ano, e sua taxa de acerto, historicamente, é de 50% das vezes eles acertarem.
Mas a idéia que queremos passar é de que, diferente do que dizem as revistas ou sites de investimento, os fundos de ação NÃO são bons investimentos a longo prazo, mas podem servir como um acréscimo no seu retorno, se utilizados nos momentos corretos. Não insista num fundo de investimento que só vem caindo, acreditando que uma hora esta cotação irá voltar, assim como você deve lembrar que os momentos de alta não duram para sempre, e existe um momento para sair da aplicação.
Nossa recomendação é NÃO acompanhar os rankings de fundos do país, pois já foram feitos vários estudos, de que os fundos mais bem colocados não repetem o ranking do ano que vem, ou seja, a rentabilidade não é consolidada, até por que os critérios destes rankings não são voltados para rentabilidade.
Outro estigma das pessoas na hora de investir, é quanto à quantidade mínima, mas saiba que alguns dos melhores fundos do mercado, na nossa opinião (olhando para RENTABILIDADE), aceitam investimentos iniciais de R$1000,00, e as vezes até de R$100,00.

4º Passo: Acompanhe seus retornos

Após escolher os fundos adequados ao seu perfil, e a quantidade de capital que você irá investir em cada um, o próximo passo é acompanhar a rentabilidade de cada um deles, e também a rentabilidade de sua carteira como um todo.
Recomendamos o site PlaDin, pois lá você pode fazer um cadastro gratuito e criar um portfólio próprio com seus fundos, onde você pode acompanhar diariamente a rentabilidade destes.

Mas e a taxa de administração e o imposto de renda?

A não ser que você esteja em dúvida entre um fundo do Banco Safra e um do Banco Itaú, uma das coisas que você irá perceber é que a tabela progressiva de imposto de renda, ou a taxa de administração ter a diferença de 0,5% a 1%, não irá fazer diferença nenhuma. Se você escolher seus fundos olhando para o retorno, verá que estas diferenças são irrisórias, se comparadas com o retorno excedente que você irá obter.
A Gestão Ativa Investimentos tem como política de investimentos, a preocupação apenas secundária com o aspecto de taxação, pois acredita que os melhores gestores de fundo obtém rentabilidades que superam quaisquer diferenciais de taxa.

Eu até que entendi o conceito, mas a prática ainda não está clara para mim

Tentamos, através deste tutorial, apresentar de uma maneira rápida e fácil, o que você precisa para investir. Sabemos que o processo de buscar os melhores fundos de investimento é demorado, pois o universo de fundos no Brasil é muito grande. E quando se trata de dinheiro, é importante que se tome a melhor decisão possível.
Se você quer uma consultoria no sentido de definir seus objetivos, definir os melhores fundos para você, e inclusive de acompanhamento desta rentabilidade, entre em contato conosco.



Comentários

  1. felipe cardoso disse:

    Bom dia amigos do Blog,

    estava lendo um artigo sobre o melhor investimento para seu perfil, mas como sou leigo no assunto e estou em processo de estudos ainda, gostaria de saber alguns detalhes sobre o tema abordado.

    Tenho alguns planos para curto prazo e poucos R$ para investir. Cerca de 300,00 – 400,00.
    Não quero um lucro exorbitante, mas algum tipo de luco a curto prazo. Qual a melhor forma de investimento? Sei que é uma pergunta meio difícil, porém gostaria apenas de uma DICA sobre um bom tipo de investimento à curto prazo e com um bom lucro.

    Como posso fazer esse investimento? Agências de investimentos?

    Atenciosamente
    Felipe Cardoso

    • Olá Felipe,

      Para o valor que você possui inicialmente (e valores até cerca de R$3.000,00), sugiro que parta para um investimento sem risco, como a poupança, já que os fundos de investimento só vão passar a compensar para você, quando tiver acumulado algo acima deste valor.

      Qualquer retorno que você queira acima do que a poupança vai pagar mensalmente, vai envolver risco. Se quiser se arriscar, sugiro que invista uma pequena parcela (10-20%) em um fundo de investimento em ações. Mas antes, é interessante que você estuda e entenda um pouco mais sobre o assunto, onde sugiro que assista ao curso em: http://www.tutorar.com.br/disciplinas/ver/4-kenneth-correa?disciplina_id=17-como-investir-no-mercado-de-acoes (você precisa se cadastrar antes para assistir às aulas, mas é grátis)

      Você pode fazer o investimento em qualquer banco comercial. Com este valor você não terá acesso às ASSET MANAGEMENT (empresas de gestão de capitais).

  2. adriano disse:

    Caro Sr Kenneth ,tenho uma pequena importadora e estou preocupado com o cambio ja que esta subindo bastante, o que vc acha sobre esta valorização vai continuar até quando?e se for vc acredita que deve se manter a que valor o dolar até o fim do ano.
    Muito obrigado desde ja,
    Atenciosamente,
    Adriano

    • Olá Adriano,

      Não sou autorizado pela CVM a publicar opiniões sobre previsões de cotações, já que não possuo controle sobre este – nem a CVM ;-).

      Sobre a valorização, procure olhar o cenário global, e a analisar historicamente o comportamento do câmbio quando o país começa a entrar em uma crise.

      Abraços, e sucesso.

  3. Fábio Carezia disse:

    Bom dia!

    Tenho um plano de investir 1/3 em previdência, 1/3 em aplicações com resgate a qualquer momento e os outros 1/3 em algo a longo prazo (10 anos +-). Quais são as melhores recomendações no momento?

    Att,
    Fábio Carezia

  4. Chegar aos 60 com 1 milhão? Não é tão fácil como dizem!…

    Pensa em conseguir ter 1 milhão de reais com seus investimentos? Já paro para pensar que a inflação pode comprometer o seu sonho? Que 1 milhão de reais daqui a 30 anos podem não ser tanto quanto você pensa? Leia e fique mais esperto!……

  5. Cláudia disse:

    Olá.
    Pretendo investir R$ 10.000,00, mas nao sei qual fundo ou opcao escolher.
    O propósito é fazer o dinheiro render bem, sem desespero para resgatar.
    Os fundos do bradesco e santander são boas opções? Ou melhor o Itau?
    Aguardo orientações.
    Obrigada e parabéns pelo tutorial!

    • Olá Cláudia,

      Que bom que gostou do site. Nesta faixa de valor, não vai fazer tanta diferença qual banco escolher, é melhor que use a conveniência como critério (o banco que você já tem conta ou um em que você conheça o gerente).

      Aí, procure as opções de fundos de acordo com o risco que você está disposta a correr.

  6. Lou disse:

    Olá,
    Estou fazendo uma avaliação para investir em títulos de multimercado, e gostaria de saber onde acho qual é o valor da taxa de retorno destes, ou se tenho eu mesma, que caulcular uma à uma…
    Grata,
    Lou

  7. Gabriela disse:

    Kenneth Corrêa,
    Possuo uma dúvida em relação aos bancos da Flórida. Gostaria de saber se um banco que se encontra na Flórida pode ter parte de seu fundo de reservas em outro banco, também na Flórida, porém maior? Se sim, gostaria de saber quais são os fundamentos legais?

  8. FABIO TAGLIAVINI disse:

    Legal o blog Kenneth , parabéns , pouca gente sabe se expressar com honestidade nesse mercado.Como anda a liquidação , quero dizer exatamente o comitente?Quanto tempo tenho ( se eu fosse gestor) pra decidir de quem é a açào , o derivativo ou um papel ( título público)? Minha pergunta cabe no contexto que quando eu sai do mercado ( 4 ou 5 anos atrás) tinha um tempão pra dizer o Cnpj , e isso dava margem pra desconfiança , entende?Nunca acreditei em compliance , na minha época vi muita coisa feia.

    Grato,

    Fabio Tagliavini

  9. Kennet, boa tarde e parabéns pelo site!
    Vou investir 1.000.000, por 20 dias e depois continuarei com 300.000, poderia me dizer qual o melhor investimento me daria o melhor retorno?
    Muito obrigado,

  10. Ranielly de sousa araujo disse:

    Gostaria de saber se os ganhos com fundos de investimentos são contabilizados diariamente como os CDBs ou apenas no momento do resgate ? Possuo 20.000,00 aplicados em CDB,mas estou interessado em investir em fundos.

    • O fundos de investimento têm suas cotas atualizadas diariamente, então você pode acompanhar seu saldo total diariamente, contanto que seu banco ofereça uma ferramenta online, como a maioria dos bancos comerciais fazem.

Comente





Posts Relacionados