Estratégia Genérica de Foco



Para Michael Porter (1986), a estratégia de foco (ou enfoque, como na tradução oficial) significa enfocar em um determinado grupo de clientes, um segmento de produtos, ou um mercado geográfico.
Assim como na diferenciação, o foco assume várias formas. A estratégia de foco visa atender muito bem ao mercado determinado. A estratégia basea-se na condição de que a empresa é capaz de atender ao segmento específico mais efetivamente e também eficientemente do que os concorrentes que competem de forma mais ampla (PORTER, 1986).
A estratégia de foco tem a característica de poder atender a diferenciação satisfazendo melhor as necessidades dos clientes do segmento específico, ou com custos mais baixos que os concorrentes (e em alguns casos, ambos).
Porter (1986) diz que a organização que desenvolver com sucesso a estratégia de foco pode obter potencialmente retornos acima da média para seu setor. A estratégia de foco significa que a empresa possui ou uma estratégia de baixo custo, ou de alta diferenciação, ou ambas.
Assim como as duas outras estratégias genéricas, a estratégia de foco proporciona defesas contra cada uma das cinco forças competitivas, mas o enfoque pode ser usado para selecionar metas menos vulneráveis a bens substitutos, ou produtos em que os concorrentes são mais fracos.
A maior tendência que se percebe hoje são as empresas que utilizam da estratégia de enfoque. Um dos exemplos que tem ganhando espaço no país são os supermercados especializados, por exemplo, o supermercado diet, com produtos para pessoas diabéticas.
Estes supermercados possuem um arranjo físico semelhante a um supermercado tradicional, mas todos os produtos são diet, sem açúcar. Os preços praticados são mais altos do que qualquer outro supermercado, mas o público-alvo diabético encontra produtos com grande variedade, por exemplo, macarrão com diversos sabores e temperos diferentes, todos sem adição de açúcar.
Assim, o valor percebido pelos clientes que outrora tinham como opção apenas os supermercados tradicionais, e com apenas um único tempero diet, podem agora optar por macarrão com molho de carne, frango ou ervas finas.

Riscos

Porter (1986) afirma que a estratégia de foco apresenta riscos inerentes para e empresa a adota, que são os seguintes:
• o diferencial de custos entre os concorrentes que atuam em todo o mercado e as empresas que adotaram focos particulares se amplia de tal modo que elimina as vantagens de custos de atender um alvo estreito ou anula a diferenciação alcançadas pelo foco;
• as diferenças nos produtos ou serviços pretendidos entre o alvo estratégico e o mercado como um todo, se reduzem;
• os concorrentes encontram submercados dentro do alvo estratégico e acabam retirando o foco da estratégia.



Comentários

  1. Gabrielle disse:

    Olá,

    Voces tem as referencias dessa publicaçào?
    Pode passar, por favor?

    Obrigada,

Comente





Posts Relacionados

  • Estratégia Genérica de DiferenciaçãoEstratégia Genérica de Diferenciação A segunda estratégia genérica segundo Porter (1986) consiste em “diferenciar o produto ou o serviço oferecido pela empresa, criando algo que seja considerado único, no âmbito de toda a […]
  • Estratégia Genérica de CustoEstratégia Genérica de Custo Michael Porter (1986) afirma que a estratégia de liderança pelo custo total consiste em atingir a liderança total em um setor, através de uma série de políticas orientadas para atingir […]
  • Estratégias Genéricas de Michael PorterEstratégias Genéricas de Michael Porter UPDATE 15/05/2011: Veja o vídeo com explicação sobre o modelo de estratégias genéricas de Michael Porter: Segundo Michael Porter (1986), as empresas geralmente possuem uma […]
  • Alinhamento EstratégicoAlinhamento Estratégico Após a etapa do desdobramento do planejamento, a próxima etapa é a execução do plano estratégico, através do planejamento das áreas funcionais, políticas e plano operacionais, projetos e a […]
  • Modelo de 5 Forças de Michael PorterModelo de 5 Forças de Michael Porter Maximiano (2006) afirma que "o entendimento das forças competitivas de um ramo de negócios é fundamental para o desenvolvimento da estratégia". Assim, Serra, Torres e Torres (2004) […]
  • HSM Expomanagement 2013 – Dia 2 – ManhãHSM Expomanagement 2013 – Dia 2 – Manhã A manhã do segundo dia começou bem, com Andrew McAfee, da MIT Sloan (escola de negócios do instituto), e ta,bém palestrante do TED, que veio falar sobre Big Data. Ele fugiu bem do clichê […]