Segmentação de Mercado Internacional



Churchill (2003) afirma que as organizações podem dividir seu mercado total em segmentos, ou partes. Com base nesta divisão, a emprea decide qual(is) destes segmentos vai servir, e como servi-lo. Este processo é conhecido como segmentação de mercado.

Neste tópico iremos discutir por que e quando as organizações utilizam a segmentação de marketing internacional. Churchill (2003) afirma que “para os profissionais de marketing que ofereçam seus produtos em mais de um país, o processo inclui também a decisão de servir todo os países com um único composto de marketing, ou adaptá-los às necessidades e desejos de cada país.

A necessidade de segmentar o mercado

Churchill (2000) define a segmentação do mercado como o processo de dividir o mercado total em partes aproximadamente homogêneas. Com base na definição destes segmentos, a organização pode definir quais especificamente vai servir, e como irá atender àqueles consumidores específicos.

Já Kotler (1998) diz que a segmentação é a ação de identificar e classificar grupos distintos de compradores que podem exigir produtos com características diferentes.
Será apresentado então um exemplo que representa a importância da segmentação de mercado para o processo de marketing internacional.

Caso Henry Ford

Uma das histórias mais antigas e sempre lembrada quando se aborda a segmentação de mercado, está ligada ao pai da indústria automobilística moderna, Henry Ford. A empresa de Ford desenvolveu o modelo “Ford T” como um carro destinado a satisfazer qualquer pessoa.

Nesta época, Alfred Sloan Jr., na General Motors, entrou no mercado após a Ford, pedindo que seus engenheiros criassem vários modelos de carros, cada um projetado para satisfazer as necessidades e gostos de um grupo diferente de clientes. Esta estratégia, segundo Churchill (2000), ajudou a GM a se tornar a maior empresa do mundo.

Quando a Ford viu a GM surgir com vários modelos diferentes, um dos diretores de Ford resolveu dizer ao Sr. Henry Ford: “A GM está crescendo em vendas, começando a se tornar um incômodo. Será que a Ford não poderia produzir carros diferentes, de outras cores, para atingir públicos diferentes?”.

E a célebre resposta de Henry Ford foi: “Podemos produzir carros de qualquer cor, contanto que sejam da cor preta”. Esta postura mostra uma falta de orientação para o mercado, e a não percepção do conceito de que existem públicos diferentes, com gostos diferentes.



Comente





Posts Relacionados

  • Segmentação de Mercado – Uma visão técnicaSegmentação de Mercado – Uma visão técnica De acordo com Dias et al (2004), os consumidores diferem muito entre si, possuem preferências e necessidades diferentes, por isso há diversos fatores que devem ser selecionados e […]
  • A Teoria de Campo de Kurt LewinA Teoria de Campo de Kurt Lewin A teoria de Kurt Lewin, um dos primeiros psicólogos a estudarem as organizações, explica que os padrões de comportamento são decorrentes das interações e das influências que o indivíduo […]
  • A operacionalização de um plano de marketing internacionalA operacionalização de um plano de marketing internacional De acordo com Kotler e Keller (2006), as organizações podem gerenciar suas atividades de marketing de três maneiras: Departamento de Exportação, Divisão Internacional ou Organização […]
  • Tabelas para controlar Fluxo de CaixaTabelas para controlar Fluxo de Caixa Nas tabelas que se seguem foram adotados o período diário como exemplo principal, podendo também como exemplo mais apurado realizar o controle semanal.   Para entendermos melhor sua […]
  • Processo de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D)Processo de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) Churchill (2000) coloca que "novos produtos são uma das chaves para o crescimento e sucesso de uma empresa". No entanto, não há como garantir que todo novo produto lançado por uma empresa […]
  • Topo Duplo e Fundo DuploTopo Duplo e Fundo Duplo (algumas pessoas chamam de W ou M) Esta figura é umas das mais fáceis de serem encontrados nos gráficos, na maioria dos topos e fundos ela está lá, causando estrago na tendência. O […]