A Teoria de Adam para o Mercado Financeiro

Categoria: Análise Técnica | 01.10.2008 | 1 comentário



Uma das teorias mais faladas na análise técnica é a Teoria de Adam. Mas muito pouco (principalmente) em português, está escrito sobre ela.

A Teoria de Adam foi desenvolvida por Jim Sloman, que também desenvolveu a Teoria Delta dos Mercados, e foi distribuída por J. Welles Wilder, um grande analista técnico americano e investidor do mercado financeiro, criador dos indicadores ADX e IFR, entre outros.

Os princípios básicos da teoria de Adam foram descritos no livro “The Adam Theory of Markets”, de Welles Wilder, publicado em 1987.

O conceito básico da Teoria de Adam é de que o mercado financeiro deve ser analisado com o mínimo de informações o possível. A premissa básica é de que uma criança consegue observar uma tendência em um gráfico com mais facilidade do que muitos traders com anos de experiência. O nome Adam é tirado do personagem bíblico Adão, o primeiro homem, que era inocente e puro, e é assim que deve ser o investidor, prega a teoria.

Um exemplo é o gráfico abaixo. Procure esquecer o que já sabe sobre Análise Técnica e tendências, e dizer para onde acha que o preço está indo:

Gráfico de Alta da Teoria de Adam

Se respondeu: “para cima”, já conseguiu entender o primeir princípio da Teoria de Adam. O comportamento do preço é inercial, ou seja, se está subindo, tende a continuar subindo, e se está descendo, tende a continuar descendo.

A mesma situação podemos ver no gráfico abaixo:

Gráfico de Baixa da Teoria de AdamPodemos enxergar exatamente o mesmo fenômeno. A resposta aqui é: “para baixo”.

É claro que a teoria de Adam não é a resposta final para tudo o que você precisa saber para investir, mas serve para tornar mais claro o processo de identificação de tendências, e de projeção de preços.

Não se esqueça, no entanto, do texto que o Márcio Noronha escreveu, que fala sobre o mercado ser imprevisível, e o que faz a diferença para trades de sucesso é o Money Management. O mesmo conceito já tinha sido abordado anteriormente nos Axiomas de Zurique.

O grande divulgador da Teoria de Adam no Brasil foi o investidor Márcio Noronha, que hoje ministra cursos e escreve material sobre o mercado financeiro.



Uma Comentário

  1. gouverlan gouveia diniz disse:

    ola bom dia grade satisfação.
    gostaria de receber suas conteudos gratidão sempre

Comente





Posts Relacionados

  • Considerações de Márcio Noronha sobre Money ManagementConsiderações de Márcio Noronha sobre Money Management As partes deste texto foram retiradas do tópico "Considerações Finais" do Curso Completo de Investimento de Márcio Noronha, e achei que é uma visão bem lúcida sobre o investimento no […]
  • Money ManagementMoney Management Fonte: http://www.bastter.com Gestão do Capital e Risco Neste artigo tratar-se-á sobre "Gestão de Capital e Risco" e como ela pode e deve ser aplicado a operaçoes de daytrade, curto […]
  • Bibliografia de Marketing InternacionalBibliografia de Marketing Internacional Segue abaixo a bibliografia utilizada para este material. AAKER, David A. Administração Estratégia de Mercado. 7ª Edição. Porto Alegre : Bookman, 2007. BLACKWELL, Roger D.; MINIARD, Paul […]
  • História da Pesquisa de Clima OrganizacionalHistória da Pesquisa de Clima Organizacional Para começar a entender o significado da pesquisa de clima organizacional, é preciso conhecer sua história. Neste primeiro tópico é apresentada a história da pesquisa de clima […]
  • Processo de Pesquisa de Marketing – Definir o ProjetoProcesso de Pesquisa de Marketing – Definir o Projeto A próxima etapa após a definição do problema, é definir o projeto de pesquisa, que inclui a definição de como vai ocorrer o processo de planejamento da coleta dos dados, e também como […]
  • Joint Ventures como forma de entrar em mercados internacionaisJoint Ventures como forma de entrar em mercados internacionais Investidores externos podem também formar alianças com investidores locais para criar uma joint venture, onde são partilhados a propriedade e o controle. Kotler e Keller (2006) citam como […]