Pesquisa de Clima Organizacional

Blog sobre Pesquisa de Clima Organizacional

Liderança – Saiba TUDO sobre como Liderar

Elaboramos este guia completo para você que já leu inúmeros artigos sobre o tema LIDERANÇA, mas que está procurando um guia definitivo para entender tudo sobre o assunto mais atual de gestão.

Definindo a Liderança

A liderança tem sido motivo de preocupação há muitos anos, por se tratar de um fenômeno de interação que envolve trocas sociais, como também por ser uma necessidade em todos os tipos de organizações.
O ato de liderar tem passado por uma série de adaptações para acompanhar a rápidas mudanças tecnológicas e verdadeiras revoluções em gerenciamento de pessoas. Nossa estrutura social e econômica demonstra uma necessidade cada vez maior de pessoas em quem possamos confiar e procurar seguir seus exemplos.
Grande parte das definições sobre liderança identificam-na como um processo grupal, que envolve duas ou mais pessoas, onde a influência é exercida de forma intencional pelo líder sobre seus subordinados. Um mais recente conceito, fala de uma liderança mais ampla, que não visa simplesmente manter a eficiência, mas também criar um processo contínuo de mudança organizacional, facilitando o trabalho de adaptação da instituição.
Fica claro que o processo de liderança não depende só do líder, mas também dos seus liderados, isto é, a aceitação de um líder será tanto maior, quanto mais ele for considerado como facilitador no processo de mudança e de obtenção de resultados (objetivos) desejados pelos seus subordinados.

Características do Líder

Historicamente, o líder sempre foi visto como aquela pessoa que possui a habilidade de influenciar outras pessoas a perseguir objetivos por ele determinados.
O líder de hoje é mais do que simplesmente a pessoa responsável pela execução e distribuição da instrução que vem de cima. O seu papel é mais dinâmico e mais autônomo. Um líder deve ter a capacidade de mobilizar seus liderados para fazer com que os resultados esperados aconteçam. O seu trabalho consiste em aproveitar ao máximo o poder de seus subordinados, ajudando-os a manifestar totalmente o seu potencial, de modo que os objetivos sejam atingidos, sem deixar de gerar as mudanças necessárias, em função do trabalho de adaptação das expectativas com a realidade existente.
No passado, o conceito que tínhamos de líder estava diretamente ligado a um cargo de autoridade, porém nem sempre isso é verdadeiro. Muitas vezes quem ocupa o cargo de chefe ou gerente não exerce liderança sobre a equipe e outras exercem-na mesmo sem um cargo de autoridade, simplesmente pelo fato de mobilizarem as pessoas em direção à resolução de problemas.
Normalmente o gerente se apóia nas regras, normas e procedimentos, enquanto o líder se apóia nas pessoas, suas capacitações e habilidades. É fundamental que se tenha à sensibilidade de coordenar estes dois papéis, de forma que um complemente e auxilie o outro.
Segundo Heifetz, para que se exerça a liderança, é necessário levar em conta algumas competências e habilidades, tais como:

  • Refletir e analisar – analisar o conflito e interpretar a dinâmica organizacional em tempo real, pensar de maneira estratégica, coletar informações;
  • Saber ouvir – ouvir de forma analítica, permitir o silêncio e identificar seus diversos significados, usar as próprias respostas cognitivas e afetivas para comparação;
  • Impor limites e saber lidar com eles – pessoais, funcionais, de autoridade;
  • Autoridade – como obtê-la, como recebê-la e outorgá-la, como se relacionar com os que a têm, como exercê-la;
  • Orquestrar o conflito e a diversidade – capacidade para lidar com o conflito;
  • Inspiração – encontrar a ligação entre tarefas específicas das pessoas e os objetivos da organização;
  • Criatividade e curiosidade – pensamento crítico, capacidade de improvisação;
  • Coragem e resistência – para chamar a atenção das pessoas, para enfrentar ataques, isolamento e perdas, para lidar com a frustração.

Estilos de liderança

O aumento ou a diminuição da eficácia no desenvolvimento do papel de líder depende, além das características do líder, do conjunto de atitudes adotadas por ele.
A este conjunto de atitudes chamamos de Estilos de Liderança, que podem ser mais centrados na tarefa, onde os liderados têm pouca participação nas decisões, apenas assumindo o papel de execução, ou mais centrados nas pessoas, onde os liderados são chamados a participar das decisões.
É importante sabermos que não existe o estilo de liderança perfeito e ideal, pois isso vai depender do momento. Na realidade, eles encontram-se mesclados em cada líder, sendo muito raro alguém utilizar totalmente ou exclusivamente apenas um dos estilos.

Líder Autocrático

  • Apenas o líder fixa as diretrizes, sem qualquer participação do grupo;
  • O líder determina as providências e as técnicas para a execução das tarefas, cada uma pôr vez, na medida em que se tornam necessárias e de modo imprevisível para o grupo;
  • O líder determina qual a tarefa que cada um deve executar e qual o seu companheiro de trabalho;
  • O líder é Dominador e é “pessoal” nos elogios e nas críticas ao trabalho de cada membro.

Líder Democrático

  • As diretrizes são debatidas pelo grupo, estimulado e assistido pelo líder;
  • O próprio grupo esboça as providências e as técnicas para atingir o alvo solicitando aconselhamento técnico ao líder quando necessário, passando este a sugerir duas ou mais alternativas para o grupo escolher. As tarefas ganham nova perspectivas com os debates;
  • A divisão das tarefas fica a critério do próprio grupo e cada membro tem liberdade de escolher seus companheiros de trabalho;
  • O líder procura ser um membro normal do grupo, em espírito, sem encarregar-se muito de tarefas.
  • O líder é “objetivo” e limita-se aos “fatos” em suas críticas e elogios.

Líder Liberal

  • Há liberdade completa para as decisões grupais ou individuais, com participação mínima do líder;
  • A participação do líder no debate apenas materiais variados ao grupo, esclarecendo que poderia fornecer informações desde que as pedissem;
  • Tanto a divisão das tarefas, como a escolha dos companheiros, fica totalmente a cargo do grupo. Absoluta falta de participação do líder;
  • O líder não faz nenhuma tentativa de avaliar ou de regular o curso dos acontecimentos;
  • O líder somente faz comentários irregulares sobre as atividades dos membros quando perguntado.

Existe ainda uma teoria de estilos de liderança chamada de “Liderança Situacional”, na qual o líder deve mudar de um estilo mais diretivo para um menos diretivo, de acordo com o nível de maturidade de cada um dos seus liderados, ou seja, cada pessoa deve ser liderada de forma diferente, conforme as suas necessidades.


Categoria: Gestão de Equipes | 10.outubro.2014 | sem comentários | Comentar


Kenneth Corrêa possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS - 2004) e Pós-Graduação em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV - 2006). É Diretor Comercial e de Tecnologia do Grupo WTW, à frente das empresas Gestão Ativa - Soluções Web, 80 20 Marketeria Digital, e Mais Empresas que atuam nas áreas de Desenvolvimento de Sites, SEO (Otimização para buscadores), Marketing Digital e eCommerce. Foi professor do Instituto de Ensino Superior da FUNLEC (IESF) e da Universidade Anhanguera-Uniderp, ambas em Campo Grande - MS. Possui experiência na área de Administração, atuando principalmente nas seguintes áreas: planejamento estratégico, gestão de projetos, marketing e recursos humanos.



Deixe um comentário