Pesquisa de Clima Organizacional

Blog sobre Pesquisa de Clima Organizacional

Fatores externos que influenciam a motivação

Após discutirmos os fatores intrínsecos ao ser humano, e apresentarmos as variáveis intervenientes, é a hora de falarmos dos fatores externos que podeminfluenciar o comportamento dos funcionários, dentro de uma organização.

De acordo com Chiavenato (1998), os fatores externos são decorrentes do ambiente, que envolve as características organizacionais, como: sistemas de recompensas e punições, os fatores sociais, as políticas organizacionais e etc.

Existe uma exagerada quantidade de variáveis quando se refere aosfatores externos que infuenciam o comportamento das pessoas nas organizações: moradia, transporte, saúde, alimentação e segurança são alguns dos fatores que constituem as condições ambientais.

A ligação entre os fatores intrísecos ao indivíduo influencia diretamente nos fatores externos, como por exemplo, o estado de energia da pessoa

Observe na figura abaixo, diversos fatores externos que infuenciam o comportamento das pessoas nas organizações.

Figura 3 – Fatores externos que influenciam o comportamento das pessoas nas organizações.

Fatores externos que influenciam o comportamento

Fonte: Adaptado de Dubrin (1974) apud Chiavenato (1998)



Kenneth Corrêa possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS - 2004) e Pós-Graduação em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV - 2006). É Diretor Comercial e de Tecnologia do Grupo WTW, à frente das empresas Gestão Ativa - Soluções Web, 80 20 Marketeria Digital, e Mais Empresas que atuam nas áreas de Desenvolvimento de Sites, SEO (Otimização para buscadores), Marketing Digital e eCommerce. Foi professor do Instituto de Ensino Superior da FUNLEC (IESF) e da Universidade Anhanguera-Uniderp, ambas em Campo Grande - MS. Possui experiência na área de Administração, atuando principalmente nas seguintes áreas: planejamento estratégico, gestão de projetos, marketing e recursos humanos.




Comentários:

2 Respostas
  1. Angela Paes disse:

    Boa tarde. Apenas alguns comentários.

    Acho interessante e intrigante como o estudo da Motivação até hoje é compreendido por uma série de autores. E pelo estado da produção científica, é claro que ainda permanecemos no período pré-paradigmàtico.
    Do ponto de vista acadêmico, como é possível a utilização do conceito “Motivação Extrínseca” para o que não é considerado como “a verdadeira motivação”?
    É difícil aceitar que a Motivação Intrínseca surja de uma poderosa fonte interna, genuína e espontânea, sem que possamos compreender mais claramente a origem dessa força.
    Mas, uma coisa posso afirmar com convicção: do ponto de vista das teorias psicológicas mais consagradas, motivação é um comportamento autônomo, persistente, sempre dirigido a objetivos bem determinados. Portanto, uma ação muito diferente das atuações fruto de quaisquer estímulos do meio ambiente ou dos programas de reforçamento.
    A motivação não é um subproduto típico e especial da produtividade. É, antes de tudo, um sério estado comportamental que deve ser estudado e prescrutado pela Psicologia.
    A motivação é um fenômeno mais raro do que podemos imaginar.
    Angela Paes!

  2. angela Paes disse:

    Quando o assunto trata sobre motivação, presenciamos os reguladores internos e externos na delimitação do conceito.
    Bem ,vejamos, autores afirmam que a motivação intrínseca é um comportamento autodetermninado, imposto pelo próprio sujeito, um ato voluntário, etc e tal….. Aqui eu pergunto: provavelmente estamos lidando com a descrição de uma ação motivada e não com sua explicação.
    O indivíduo motivado – e seja lá por qual motivo! – sempre apresenta conduta voluntária, tenaz, movida por interesse pessoal, é claro.
    E o que dizer da motivação extrínseca?
    quem não presenciou ou ouviu falar de pessoas viciadas em jogos de azar, um forte estimulador e reforçador externo? E pessoas que lutam para readquirir/ resgatar com força determinada seu status e reconhecimento público? E o que dizer de indivíduos compulsivos por compras?
    É muito claro que toda estimulação corrente do meio pode despertar “a verdadeira motivação”!
    Angela Paes!

Deixe um comentário