Como trabalhar as diferenças individuais em uma equipe

Categoria: Gestão de Equipes | 06.10.2014 | 1 comentário



O homem é um indivíduo complexo com relação à sua natureza, às suas características, às suas múltiplas necessidades e potencialidades, como também é singularmente diferente de seus semelhantes. Além do mais, é diferente de si mesmo em relação ao tempo, à medida que, através da experiência e da aprendizagem, sua personalidade e seu comportamento sofrem profundas modificações.
A grande variabilidade de experiências faz com que cada pessoa se desenvolva diferentemente de outras.
Os papéis desempenhados pelos membros da equipe são determinados pelas características de cada um e pela estrutura da organização. Cada papel abrange dois tipos de componentes: os primeiros, determinados pela organização, valem para todos os ocupantes das posições ordenadas na estrutura organizacional.
Os segundos componentes constituem a parte livre, subjetiva e pessoal do papel, a ser preenchida de acordo com as características de personalidade, experiência e maturidade de cada indivíduo. As diferenças individuais são determinantes na atuação das pessoas dentro dos seus papéis sociais e nas posições que ocupam, ainda que estejam cercadas de variáveis externas similares. Esse elemento da formação do papel é o responsável pelas diferenças encontradas na forma de condução de problemas.
Muitas dificuldades surgidas no processo de desenvolvimento das equipes decorrem da falta de preparo das pessoas para conviver com as diferenças individuais. Contudo, a diversidade humana é considerada como fonte de enriquecimento do trabalho.
A ausência de empatia pode atrapalhar qualquer interação, criando uma distância emocional que leva o indivíduo a olhar a outra pessoa através das lentes de um estereótipo, do rótulo de grupo, em vez de vê-lo como um indivíduo.
Os preconceitos se estendem ao longo da existência humana, como parte integrante de seu sistema de valores. Eles entravam o crescimento, formando obstáculos capazes de estimular o isolamento, a exclusão e sentimentos de desrespeito para com as outras pessoas.



Uma Comentário

  1. Amauri disse:

    Entendo que a interação entre os componentes do grupo depende de duas partes para que ocorra: o indivíduo em si, buscando entender como pode contribuir para o objetivo da organização e os demais membros do grupo em como acolher e ouvir as ideias dos demais componentes.

Comente





Posts Relacionados

  • Definição de Expectativas e Papéis na EquipeDefinição de Expectativas e Papéis na Equipe Definição de papéis No funcionamento da equipe, diversos papéis são desempenhados por seus membros, com maior ou menor constância. O gerente tem um papel bastante diferenciado dos demais […]
  • A principal competência em uma equipe: NegociaçãoA principal competência em uma equipe: Negociação Definição e objetivo da Negociação: Negociação é o processo de alcançar objetivos por meio de um acordo nas situações em que existam conflitos, isto é, divergências e antagonismos de […]
  • Competências Comportamentais para uma EquipeCompetências Comportamentais para uma Equipe Definindo as competências As habilidades de trabalho em equipe entram em pauta sempre que as pessoas executam tarefas em conjunto, visando uma meta comum, seja num grupo informal de três […]
  • A diferença entre o trabalho em grupo e o trabalho em equipeA diferença entre o trabalho em grupo e o trabalho em equipe Grupo e equipe são muitas vezes utilizados como sinônimos. Contudo, neste momento, uma diferenciação entre eles faz-se necessária para ressaltar aspectos que aumentam a efetividade do […]
  • Dicas sobre Trabalho em EquipeDicas sobre Trabalho em Equipe Separamos agora, para finalizar nosso guia, as principais dicas sobre Trabalho em Equipe, para quem quer ter sucesso com a gestão de equipes: TAMANHO NÃO É DOCUMENTO Ao fixar o número de […]
  • Os estágios de formação de equipeOs estágios de formação de equipe Um grupo de pessoas, ao constituírem uma equipe de trabalho, passa por estágios razoavelmente previsíveis. Estes estágios são: formação, turbulência, normatização e atuação. Essa é uma […]