Investimentos

Blog sobre Investimentos e Mercado Financeiro

Seguro Automotivo vale a pena para sua empresa?

Crise batendo na porta, e aí você olha para as linhas de despesas da sua empresa e se depara com o custo do seguro dos veículos da empresa. Bate a dúvida: Será que vale a pena manter o custo da proteção?

É preciso avaliar com cuidado – Vai depender de onde sua empresa está localizada, o quanto seus carros rodam e, claro, o quanto você está disposto a arriscar. Por exemplo, se na sua cidade o índice de acidentes, batidas e roubos de veículos são altos, é bem provável que seja um excelente investimento. A própria SUSEP, agência reguladora de seguros, disponibiliza um índice com informações relativas a roubos de carros.

Ademais, é importante também saber que, quando o seguro do automóvel é feito via empresa, ou seja, pessoa jurídica, é possível conseguir condições melhores do que para pessoas físicas – além disso, essas condições podem ser estendidas em formato de benefício para os colaboradores e até mesmo subsidiários da empresa. O seguro de cada veículo, podendo ele ser carro, moto ou ônibus, fica bem mais barato quando integrado com outros. Mas atenção: Lembre-se que, para ser configurado um seguro de frota, são necessários ao menos cinco veículos.

O prêmio ao cliente também é calculado de forma diferenciada – na maioria dos casos, é avaliado o desempenho de toda a frota, e não de cada veículo isoladamente. Ou seja, se apenas um carro ou uma parte pequena de uma frota tiver acionado o sinistro no último período, é bem provável que isso não afete de forma séria o cálculo da apólice no ano seguinte.

Se o seu objetivo é reduzir custos, existem algumas formas já consolidadas de reduzir o preço do seguro anual, como por exemplo, guardar os veículos em garagens com portão e instalar rastreadores e bloqueadores – inclusive existem diversos casos de pessoas que recuperaram seus carros graças a esses aparelhos. Analisar como é feito o cálculo do valor de seguro pode inclusive te dar mais ideias.

Vale avaliar também se não compensa mais se desfazer de parte da frota, nem que seja um ou dois veículos, do que deixar de pagar o seguro. Pode parecer um pouco radical, mas muitas empresas têm conseguido fazer isso com sucesso ao fazer aproveitamento de determinadas rotas, investir em manutenção preventiva e também integrar aplicativos de taxi e carona.

A questão é simples: Mesmo que com algum custo, o seguro garante a preservação dos ativos. Portanto, pensar em maneiras de reduzir seu custo ao invés de simplesmente cortá-lo acaba sendo uma opção mais inteligente e menos perigosa.

Se você está pensando em contratar ou apenas renovar o seguro da sua frota, saiba que hoje já existem maneiras fáceis de ter acesso aos custos e cálculos do seguro.

Nossa dica de hoje é o E-cota, uma plataforma que simula o preço da apólice em várias seguradoras, e também oferece simulações e planos para rastreamento de frotas. Recomendamos o serviço pra quem precisa de agilidade e facilidade ao lidar com seguros – isso porque a informação fornecida para a sua tomada de decisão sobre qual seguro contratar é fornecida de forma completa e imparcial, os dados pra obter o cálculo são fáceis de serem preenchidos e o serviço é grátis.23


Categoria: Tópicos Operacionais | 25.julho.2016 | sem comentários | Comentar


Kenneth Corrêa possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS - 2004) e Pós-Graduação em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV - 2006). É Diretor Comercial e de Tecnologia do Grupo WTW, à frente das empresas Gestão Ativa - Soluções Web, 80 20 Marketeria Digital, e Mais Empresas que atuam nas áreas de Desenvolvimento de Sites, SEO (Otimização para buscadores), Marketing Digital e eCommerce. Foi professor do Instituto de Ensino Superior da FUNLEC (IESF) e da Universidade Anhanguera-Uniderp, ambas em Campo Grande - MS. Possui experiência na área de Administração, atuando principalmente nas seguintes áreas: planejamento estratégico, gestão de projetos, marketing e recursos humanos.



Deixe um comentário