Estratégias Genéricas de Michael Porter



UPDATE 15/05/2011: Veja o vídeo com explicação sobre o modelo de estratégias genéricas de Michael Porter:

Segundo Michael Porter (1986), as empresas geralmente possuem uma estratégia, seja ela planejada ou não. No entanto, muitas vezes o plano apresenta falhas, pois o desempenho de uma empresa no mercado é dado por diversos fatores como: social, político, econômico, setorial, entre outros.
Assim, “o desenvolvimento de uma estratégia acontece entre a firma e o ambiente a que pertence” (Porter, 1986) e “o principal influenciador de uma empresa é o setor ou indústrias em que ela compete” (Porter, 1986). A estrutura das estratégias genéricas pode ser observada na figura abaixo:

Estratégias Competitivas Genéricas

Figura 17 – Estratégias Competitivas Genéricas
Fonte: WIKIPÉDIA, 2007

O mesmo autor afirma ainda que, para enfrentar as cinco forças competitivas em uma indústria, devem-se utilizar as estratégias genéricas citadas por ele. As estratégias são: liderança no custo, diferenciação e enfoque.



Comentários

  1. Antônio Carlos Afonso Burgos disse:

    Sou estudante de Administração e achei o site interessante. Li a matéria, “Modelo das 5 Forças, de Michael Porter” e gostei do conteúdo. Objetivo e direto. Pretendo acessar mais vezes.
    Gostaria de saber se é possível participar com publicação de pequenos textos ou resenhas referentes ao assunto em questão.

  2. Ricardo Saturnino disse:

    Mesmo método utilizado na matéria, “Modelo das 5 forças (Michael Porter)”, com simplicidade e objetividade. Nesta, destaque para explicação via video, muito bem exposto o modelo de “Estratégias Genéricas (Michael Porter)”.

    Curso MBA em Business Intelligence e os 15 minutos dedicados a leitura de algumas matérias neste site foram bem proveitosos.

    Parabéns.

    Sabe dizer de existe algum filme, documentário sobre “Gestão de Estratégica de Negócio” com base nas teorias/métodos de MIchael Porter?

  3. CLAUDIO GRILLO disse:

    MINHA MONOGRAFIA DE FIM DE CURSO DE ECONOMIA NA FEDERAL DE MG TEM COMO BASE AS TEORIAS DE PORTER,É MASSA MESMO. FIZ UM ESTUDO DE CASO SOBRE UMA COOPERATIVA DE CAFEICULTORES DE MINHA REGIÃO. TIREI UMA ÓTIMA NOTA FIQUEI BEM SATISFEITO.

  4. Valéria Lima disse:

    Gostei do vídeo, pois foi bem direto nas explicações o que me ajudou em um seminário que apresentei na faculdade, estou no 6º período de adm, foi excelente, parabéns!

  5. Gerson disse:

    Muito interessante!

  6. rafael disse:

    poderia me dar um exemplo?

  7. Rafael disse:

    A Estratégia Genérica pode ser aplicada em que tipo de empresa?

Comente





Posts Relacionados

  • Estratégia Genérica de DiferenciaçãoEstratégia Genérica de Diferenciação A segunda estratégia genérica segundo Porter (1986) consiste em “diferenciar o produto ou o serviço oferecido pela empresa, criando algo que seja considerado único, no âmbito de toda a […]
  • Estratégia Genérica de CustoEstratégia Genérica de Custo Michael Porter (1986) afirma que a estratégia de liderança pelo custo total consiste em atingir a liderança total em um setor, através de uma série de políticas orientadas para atingir […]
  • Estratégia Genérica de FocoEstratégia Genérica de Foco Para Michael Porter (1986), a estratégia de foco (ou enfoque, como na tradução oficial) significa enfocar em um determinado grupo de clientes, um segmento de produtos, ou um mercado […]
  • Estratégias de Segmentação de MercadoEstratégias de Segmentação de Mercado Assim que foram levantados os diferentes segmentos em que se pode atuar, o próximo passo visa definir qual será o posicionamento em relação a cada um, e com que intensidade estes serão […]
  • Modelo de 5 Forças de Michael PorterModelo de 5 Forças de Michael Porter Maximiano (2006) afirma que "o entendimento das forças competitivas de um ramo de negócios é fundamental para o desenvolvimento da estratégia". Assim, Serra, Torres e Torres (2004) afirmam […]
  • HSM Expomanagement 2013 – Dia 2 – ManhãHSM Expomanagement 2013 – Dia 2 – Manhã A manhã do segundo dia começou bem, com Andrew McAfee, da MIT Sloan (escola de negócios do instituto), e ta,bém palestrante do TED, que veio falar sobre Big Data. Ele fugiu bem do clichê […]