Estratégia Genérica de Diferenciação



A segunda estratégia genérica segundo Porter (1986) consiste em “diferenciar o produto ou o serviço oferecido pela empresa, criando algo que seja considerado único, no âmbito de toda a indústria”. Quando utiliza o termo indústria, refere-se ao conjunto de empresas de determinado setor da economia.
Os métodos para obter a diferenciação são vários, sendo alguns deles: projeto ou imagem da marca, tecnologia, peculiaridades, serviços sob encomenda ou rede de fornecedores.
A diferenciação, se alcançada, é uma estratégia viável para se obter retornos acima da média em um setor, pois ela cria uma posição de defesa para evitar as cinco forças competitivas, mas de forma diferença que na liderança de custos (PORTER, 1986).
A diferenciação pode proporcionar isolamento contra os concorrentes devido à lealdade dos consumidores com relação à marca, como também à menor sensibilidade a preço. A lealdade resultante dos consumidores já serve também como um barreira à entrada de novos entrantes. A diferenciação também permite margens maiores, com as quais se pode lidar com o poder dos fornecedores, e também ameniza o poder dos compradores, devido à falta de alternativas comparáveis. Ao final, a empresa que se diferencia para obter lealdade estará mais bem posicionada em relação aos substitutos, até por que fica mais difícil substituir o que é diferenciado (PORTER, 1986)
Atingir a diferenciação pode, também, tornar impossível a obtenção de uma grande parcela do mercado, pois em geral requer um sentimento de exclusividade, que é incompatível com uma grande parcela do mercado. Mas, como no caso das estratégias de diferenciação citadas anteriormente, é possível um trade-off (vantagens em troca de desvantagens, de maneira que uma compense as outras).
Como exemplo de empresa que trabalha com a diferenciação, temos a Gilette. Atuando no ramo de barbeadores, investe muito em Pesquisa & Desenvolvimento, sempre com novos modelos sendo lançados.
Seus investimentos permitem que os produtos obtenham características físicas que os diferenciem dos outros barbeadores, promovendo um melhor corte no uso, sem irritação na pele.
Os produtos da Gillette são de 30 a 60% mais caros que os das concorrentes, e possuem boa parte da fatia de mercado de barbeadores no país, principalmente devido às suas características que levaram a uma construção da marca e conseqüente fidelização por parte dos consumidores, que optam por pagar mais pelos produtos.

Riscos

Porter (1986) afirma que a estratégia de diferenciação apresenta riscos inerentes para e empresa a adota, que são os seguintes:
• o diferencial de custos entre os concorrentes de baixo custo e a empresa diferenciada torna-se muito grande para que a diferenciação consiga manter a lealdade à marca. Os compradores sacrificam, assim, algumas das características, serviços ou imagem da empresa diferenciada em troca de grandes economias de custos;
• a necessidade dos compradores em relação ao fator de diferenciação diminui. Isto pode ocorrer à medida que os compradores se tornem mais sofisticados;
• a imitação reduz a diferenciação percebida, uma ocorrência comum quando o setor amadurece.



Comentários

  1. […] às suas características que levaram a uma construção da marca e conseqüente fidelização por parte dos consumidores, que optam por pagar mais pelos […]

  2. Roberto Milanez Filho disse:

    Prof.Kenneth, boa noite.
    Atendíamos uma parcela do mercado com um produto, hoje em falta, que vendíamos à R$ 1.900,00.
    Segundo nossa diretoria, o teríamos disponível em um ou dois meses, isto desde Ago/2012, portanto sem vendas neste período deste produto.
    Nossa equipe encontrou este item na China por U$ 65,00 para pedidos começando em 700 unidades e, após insistências na net, já no Brasil à pronta entrega, por R$ 500,00 a unidade no varejo, porém com a marca de uma fábrica conhecida e muito mal trabalhado por sua equipe.
    Minha questão, caso possa nos ajudar é se, por diferenciação, pintando, retirando a marca, etiquetas, embalagem, nome comercial, etc., utilizados por este importador, poderíamos alterar o produto, que é o mesmo e, com novas características atender este mercado sem nos comprometer juridicamente?

    Antecipadamente agradecido,
    Roberto Milanez Filho
    11 7741.9414

  3. Ivone e Marco disse:

    Adoramos sua aula , nos ajudou muito em nosso exame ,podemos tirar duvidas
    quando necessitarmos?
    Vc sabe muito e ensina muito bem.
    Parabéns! Obrigada

Comente





Posts Relacionados

  • Estratégia Genérica de CustoEstratégia Genérica de Custo Michael Porter (1986) afirma que a estratégia de liderança pelo custo total consiste em atingir a liderança total em um setor, através de uma série de políticas orientadas para atingir […]
  • Estratégia Genérica de FocoEstratégia Genérica de Foco Para Michael Porter (1986), a estratégia de foco (ou enfoque, como na tradução oficial) significa enfocar em um determinado grupo de clientes, um segmento de produtos, ou um mercado […]
  • Estratégias Genéricas de Michael PorterEstratégias Genéricas de Michael Porter UPDATE 15/05/2011: Veja o vídeo com explicação sobre o modelo de estratégias genéricas de Michael Porter: Segundo Michael Porter (1986), as empresas geralmente possuem uma estratégia, […]
  • Modelo de 5 Forças de Michael PorterModelo de 5 Forças de Michael Porter Maximiano (2006) afirma que "o entendimento das forças competitivas de um ramo de negócios é fundamental para o desenvolvimento da estratégia". Assim, Serra, Torres e Torres (2004) afirmam […]
  • Diferenciação de produtos e serviços: dica para negóciosDiferenciação de produtos e serviços: dica para negócios O momento parece propício para propor a diferenciação de produtos e serviços e, conquistar o cliente pelas características únicas do seu negócio. Se por um lado, pode afastar propects que […]
  • HSM Expomanagement 2013 – Dia 2 – ManhãHSM Expomanagement 2013 – Dia 2 – Manhã A manhã do segundo dia começou bem, com Andrew McAfee, da MIT Sloan (escola de negócios do instituto), e ta,bém palestrante do TED, que veio falar sobre Big Data. Ele fugiu bem do clichê […]