Gerenciamento de crise: quais as medidas cabíveis?



Crise financeira, grandes incêndios, consumidores utilizando produtos defeituosos são alguns motivos para uma empresa entrar em estado de emergência. Para que esses problemas não se tornem de grande magnitude, é necessário criar um plano de gerenciamento de crise.

O PGC, sigla para Plano de Gerenciamento de Crise, é um sistema administrativo que tem como objetivo minimizar os prejuízos causados por algum problema. O PGC é utilizado para recuperação, retomada das atividades, evitar que os negócios da empresa sejam afetados e tentar não demitir funcionários ou a venda de bens materiais.

Elabore o seu plano de acordo com o seu segmento

O primeiro passo é fazer um levantamento de risco. Quais os problemas que podem afetar a empresa, como por exemplo, a crise financeira que atingiu o país, falta de matéria-prima, empresas maiores no mesmo segmento. Para exemplificar, vamos utilizar a empresa sul-mato-grossense Bigolin, grupo lojista de materiais para construção.

A crise na construção civil foi o fator de risco para a empresa, que viu a demanda por materiais de construções para grandes obras cair de forma abrupta e aumentar o valor a ser pago para credores. O segundo passo é fazer um diagnóstico das ameaças e planejar. Como ela pode ser superada? Mudar a matéria-prima, apresentar produtos com valores abaixo dos oferecidos por grandes empresas ou fechar algumas lojas temporariamente podem ser opções.

No caso do grupo Bigolin para superar as ameaças, colocou um antigo depósito a leilão. Avaliado em R$ 15,5 milhões, a venda servirá para pagar os credores e injetar um novo giro de capital na empresa. Crises na empresa sempre afetam o orçamento e medidas importantes devem ser tomadas para a empresa não entrar em falência. O leilão de bens pode ser a solução para manter o orçamento no positivo.



Comente





Posts Relacionados