Investimentos

Blog sobre Investimentos e Mercado Financeiro

Controle de Estoque pode ser Estratégia

3 EXEMPLOS QUE TE FARÃO REPENSAR alguns CONCEITOS.

Você pensa em abrir uma empresa, ou até mesmo está abrindo, e está com dificuldades para organizar e implantar um bom controle de estoques?

Esse não é um problema exclusivamente seu, nem é uma dificuldade exclusiva dos iniciantes – muitas empresas com anos de existência ainda sofrem na hora de fazer o gerenciamento de seus estoques, desde o recebimento dos produtos até a entrega final ao consumidor.

Muitas organizações conseguem implantar um controle adequado após uma consultoria de governança corporativa e auditoria contábil, e assim reduzir custos e sair à frente dos concorrentes.

Mas será que estoque é mesmo uma questão de organização, processos e, se possível, redução de custos¿ Indo mais além: Quais as áreas da empresa que são diariamente dependentes de um bom fluxo do seu estoque? Responda essas perguntas e a importância da área ficará nítida.

Agora, e se eu dissesse que esse pode ser exatamente o fator X entre a sobrevivência e a morte da sua empresa? Seria exagero?

É importante percebermos que, muito além de controlar entradas e saídas, o estoque é fundamental para a operação. Definir o que vai entrar e a previsão de quanto vai sair é a primeira tarefa para começar a ter um estoque eficiente.

Para tanto, é importante analisar:

  • Quais produtos tem maior saída?
  • Quais produtos tem menor saída, mas fidelizem meus clientes?
  • Quanto tempo o fornecedor leva, em média, pra me entregar um pedido?
  • Quanto de espaço eu tenho que pode ser ocupado?
  • Qual o meu giro ideal de estoque?

Todas essas perguntas podem ser respondidas com um levantamento de dados simples, porém trabalhoso. E aí, vale a pena todo esse esforço? Vale.

 

Aqui, levantamos 3 estratégias que podem ser utilizadas ou até mesmo adaptadas à sua situação assim que você tiver conseguido responder às perguntas levantadas acima.

 

Estratégia 1: Defina seus clientes mais valiosos

Após levantar esses dados, você deve encontrar qual o mix mais eficiente de produtos pra você manter no seu estoque. Pode ser que, ao levantar esses dados, você chegue à conclusão de que vale a pena deixar de atender determinado cliente.

Isso não é loucura – às vezes, o melhor que você pode fazer pela sua empresa é focar em um nicho de mercado. Essa estratégia torna-se ainda mais crucial quando você tem mercadorias em estoque – afinal, estoque é dinheiro.

 

Estratégia 2: Variedade x Custo

Você sabia que o preço do produto ou serviço oferecido tem uma relação direta com a variedade de opções que e organização oferece ao cliente¿ Isso acontece porque cada item extra eleva os custos fixos do estoque da empresa, principalmente no caso de empresas pequenas.

Uma das estratégias utilizadas por grandes empresas hoje em dia é variar muito com pouco. Empresas como Subway e Spoleto fazem isso muito bem – o cliente tem a seu dispor uma grande variedade de combinações, ao invés de opções. Se você souber adaptar seu mercado dessa forma, conseguirá otimizar seus custos e, consequentemente, ter um preço mais competitivo sem deixar de atender determinados clientes.

 

Estratégia 3: Invista em segurança e governança corporativa

Ter um controle de estoque afiadíssimo te dará uma excelente vantagem competitiva frente aos seus concorrentes. Depois das informações necessárias levantadas, escolha um sistema robusto, instale câmeras de segurança se necessário, estude sobre governança corporativa e, principalmente, seja obsessivo com estoque.

Sabe aquele ditado de que é melhor prevenir do que remediar?

Quando se trata de estoque, cada item faz a diferença, e um controle frouxo é prejuízo na certa. Compensa mais investir em um controle preventivo do que corretivo, pois uma perda muito grande pode te deixar em apuros.

 

Conclusão

Investir no estoque como estratégia é algo que vem funcionando muito bem para várias empresas, e poderá te dar uma vantagem frente ao concorrente bem difícil de imitar.

Modelos de estimativas – diárias, semanais, mensais e anuais, inventários de itens pré-programados e gerenciamento dos mesmos podem ser encontrados na internet. Aplicativos pagos e gratuitos oferecem bastante eficácia, mas tome o cuidado de analisar qual se encaixa melhor à sua necessidade. Planilhas em Excel podem ser excelentes em auxiliar o processo.

E aí, curtiu nosso artigo?

Curta nossa página no Facebook, deixe um comentário ou então mande seu feedback contando como foi a sua experiência ao utilizar esses serviços.

 

Gostaria de saber mais sobre aumentar a receita? Confira um artigo com 22 técnicas de venda infalíveis.


Categoria: Tópicos Operacionais | 21.julho.2016 | sem comentários | Comentar


Kenneth Corrêa possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS - 2004) e Pós-Graduação em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV - 2006). É Diretor Comercial e de Tecnologia do Grupo WTW, à frente das empresas Gestão Ativa - Soluções Web, 80 20 Marketeria Digital, e Mais Empresas que atuam nas áreas de Desenvolvimento de Sites, SEO (Otimização para buscadores), Marketing Digital e eCommerce. Foi professor do Instituto de Ensino Superior da FUNLEC (IESF) e da Universidade Anhanguera-Uniderp, ambas em Campo Grande - MS. Possui experiência na área de Administração, atuando principalmente nas seguintes áreas: planejamento estratégico, gestão de projetos, marketing e recursos humanos.



Deixe um comentário